Too sexy for Metal?

(Esse texto foi escrito por mim, Iza Rodrigues e pela Natália, do blog Rockalogy)

A verdade é que o Heavy Metal é um gênero predominantemente masculino. Mas se formos comparar, boa parte das culturas musicais também o são. No Metal uma série de elementos estão ligados à virilidade, à masculinidade e a agressividade, seja no som, seja na “dança”, pensando aqui as “rodas”, os moshs e o próprio “headbanging”. As meninas que se sentem atraídas pelo Metal, pelos mesmos motivos, ou motivos semelhantes aos dos meninos e têm de conviver com a questão de serem uma minoria, nem sempre respeitada, no meio.

Além de terem de resistir à pressão da própria sociedade, as meninas headbangers devem resistir aos preconceitos existentes no próprio meio, tanto da parte dos meninos quanto da parte das meninas. Ela precisa provar para os rapazes que conhece e que gosta de Metal tanto quanto, ou mais, que eles e para as meninas, provar que não estão apenas afim dos metalheads cabeludos.

Esse post foi inspirado por comentários gerados a partir de um vídeo de uma apresentação da banda Nervosa, cujo foco era o figurino da baixista e vocalista Fernanda Lira, mais exatamente sobre o tipo de calça que ela estava usando na apresentação. Enquanto alguns meninos elogiavam, apoiando a atitude ainda que com alguma ironia, algumas meninas mostravam certo tom de reprovação em seus comentários, dizendo que a calça era apertada demais.
Roupas da Fernanda Lira da banda Nervosa
Visual do Iron Maiden nos anos 80

Sabemos que Fernanda Lira é o que podemos chamar de uma “true headbanger”, ela possui uma longa estrada do Metal além de ser uma ótima musicista, isso não impede que ela e as outras meninas, Prika Amaral e Fernanda Terra, façam uso de figurinos mais ousados, explorando atributos femininos como a vaidade e a sensualidade, levando isso para cima do palco e para o Thrash Metal que elas tocam.


Vale ressaltar que o tipo de calça que estamos falando já era consagrado dentro do próprio Heavy Metal e era usada por homens, que entre outras coisas estavam a fim de deixar mais a mostra a sua sexualidade.
Visual do Iron Maiden nos anos 80
Mesmo dentro de um estilo onde o público masculino é predominante, as mulheres, mesmo que aos poucos, conseguiram marcar presença ao longo dos anos. Cada qual em seu estilo, Doro Pesch, Angela Gossow, Liv Kristine Spanaes, Tarja Turunen, Simone Simons, Floor Jansen, Sharon Den Adel, dentre tantas outras, chamam atenção não só pelo seu talento, mas também pela beleza e visual. E eis aqui o ponto principal desse texto. O visual sempre foi importante dentro da cena, tanto para as meninas, quanto para os meninos.

Dizer que o headbanger não liga para estética é um erro, o gênero tem uma preocupação muito grande com assuntos relacionados à estética. Quanto aos headbangers, se não se importassem com a aparência não perderiam tempo escolhendo camisetas (alguns até pintam as próprias), não esfolariam os dedos colocando rebites em jaquetas ou tentando desfiar um jeans. Também não desembolsariam horrores numa jaqueta de couro, num cinto de bala, num tênis branco, num coturno. Nem ficariam anos sem cortar os cabelos. Muitos até pintam, escovam, hidratam… Isso não é “estética pura”? Sim, porém moldada ao estilo alternativo que os ouvintes de Heavy Metal seguem.

De acordo com o Dicionário Michaelis, a palavra “moda” significa:  

1 Uso corrente. 2 Forma atual do vestuário. 3 Fantasia, gosto ou maneira como cada um faz as coisas.

Hoje existem empresas especializadas em moda alternativa. Calças, jaquetas, camisetas, calçados e acessórios estão a fácil acesso. E se a pessoa se identifica com a música e com o tipo de vestimenta característica dos headbangers, porque não?

Partindo do princípio que a moda headbanger é para ambos os gêneros, não é de se estranhar que as mulheres também moldassem o visual Headbanger às suas curvas. Sendo assim, as calças ficaram ainda mais coladas, os coturnos ganharam plataformas, as jaquetas e coletes se adaptam a cintura fina. É sexy? É atitude? Sim, e o Heavy Metal também é feito disso, não? E não é por ser uma “Menina Headbanger” que ela tem que se vestir exatamente como os homens. Mulher, em qualquer esfera da sociedade, quer se sentir bonita, confortável e consequentemente atraente. Veja bem, o “atraente” é consequência e não principal motivo. 

Há também as que colocam a sexualidade como principal fator na sua existência dentro da cena do Heavy Metal. São as famosas “Maria shampoo”, “Maria palheta”, “caça cabeludos” e etc. Mas isso é assunto para outro texto.

Tocamos no assunto com duas mulheres headbangers, veja só:

“Sabemos que as mulheres no Metal de hoje tem tudo com mais facilidade, são mais independente e conseqüentemente gastam mais com vaidade que os homens, isso é fato!! Trabalho com comercio nesse ramo undergroud á quase 8 anos (minha loja tem 2 anos) e posso afirma que a mulherada do Metal é MUITO vaidosa, sexy e posso até dizer que algumas gostam de provocar mesmo! Mas vamos questionar uma observação num meio com homens cabeludos, usando visual de banda, coturnos e etc. Nós teriamos que nos vestir como eles?? Não né! Com tantas lojas, tanto material diferente, roupas de vários modelos, quem conseguiria vestir uma calça Jeans e uma blusa masculina? Quando se esta dentro de uma tribo é normal que tenhamos características daquela tribo, então no Metal não iria ser diferente. Em relação as calças, eu particularmente adoro calças apertadas, quanto mais melhor e tenho vários clientes na loja homens e mulheres que compram usam e fazem o maior sucesso!! Acho que quando você recrimina um estilo de alguém da sua tribo você não está no lugar certo.
Nosso estilo hoje é referência pra estilistas do mundo todo, existem várias marcas que trabalham só com moda alternativa que vai do jeito mais despojado até o Dark. Então vamos aproveitar que estamos na moda e extravasar. Afinal somos uma galera de atitude independente do gênero”

Alinne Madelon, empresária da loja Metal Fatality e vocalista da banda The Knickers 

guitarrista do Impacto Profano e Trinnity
Fernanda Cals

“Eu gosto de me vestir bem, não só no palco, mas em qualquer lugar. Uso a roupa que eu quero, que eu me sinto bem usando. Isso é o mais importante. Quando subo no palco com o Impacto Profano, procuro uma roupa que seja feminina e confortável ao mesmo tempo, e que tenha a ver com a temática da banda. Gosto muito das roupas da Black Frost e dos corsets da Madame Sher. Calçados eu geralmente escolho botas e coturnos sem salto, pois são os que me dão maior equilíbrio.Penso o seguinte: pra criticar, sempre tem alguém. Seja por vestir uma calça largona no palco ou uma que seja justa demais. Seja por usar um corset ou uma blusa de banda…ou seja porque a pessoa é recalcada ou invejosa e usa outras coisas como motivo (como por exemplo o visual) só pra falar merda. Além disso, é impossível agradar todo mundo, AINDA BEM! Então o negócio é ser feliz sendo quem você é.”Fernanda Cals, guitarrista das bandas Impacto Profano e Trinnity 

Trinnity
Fernanda Cals com a banda Trinnity
Loja de moda alternativa

E pra você? Heavy Metal e Moda caminham juntos? Já se sentiu discriminado (a) por causa do visual (ou da falta dele)?



Rockalogy
Loja Metal Fatality
The Knickers
Impacto Profano
Nervosa
Trinnity

Posts relacionados

Comments

comments

2 thoughts on “Too sexy for Metal?

  1. Curto Metal, mas não ando totalmente vestida de preto, embora ás vezes ande com camisas das bandas que curto, acho que todos devem se vestir da maneira que se sentirem bem, e só, creio que toda essa crítica á roupa e a feminilidade dentro do Rock e do Metal, é pura babaquice dos que a cometem, as mulheres tendem a querer se sentir sempre bonita, isso não seria diferente mesmo numa área ainda "dominada por homens". Ah, quanto á banda Nervosa, a qual eu conheço e gosto, acho realmente incompetência gastarem comentários criticando as roupas das integrantes ao invés de comentar a ótima música que fazem…
    Devo ter falado muita besteira, pq to com sono.
    Ótimo texto!O blog é fhoda.
    Bjos.

    oculos-redondos.blogspot.com

  2. Muito bom o seu post. Concordo com todas as colocações. Só para acrescentar, existem também o fato de recriminar as gurias que gostam de metal, mas nem sempre andam com esse visu, eu por exemplo, cada dia saio de um jeito, tem vezes que se me verem na rua, nunca vão saber que gosto de metal, e existe muito preconceito com isso, coisas do tipo "ah olha que poser, anda que nem paty", e isso é foda, afinal visu nao é tudo… Enfim, parabens pelo trabalho ^^

    Beijo!

    fairieswboots.blogspot.com

Deixe uma resposta