Nervosa – Entrevista com Fernanda Lira


E mais uma vez as mulheres provam que é sim possível fazer música pesada com qualidade. A Nervosa, banda de São Paulo, faz um Thrash Metal cru e sem firulas!
O Menina Headbanger fez uma pequena entrevista com a Fernanda Lira, vocalista e baixista da Nervosa, onde ela conta um pouco da trajetória da banda dentre outras curiosidades. Confira!
 
Há quanto tempo você toca contrabaixo e como surgiu a ideia de montar a banda?
Eu tentava arranhar o baixo imitando meu pai desde pequenininha, mas peguei firme mesmo lá pelos 13, 14 anos, e desde então foi uma dedicação ininterrupta, pois passei por três bandas antes da NERVOSA, todas elas formadas apenas por garotas. Não que esse sempre quisesse ser meu foco principal pra divulgar a banda, mas sempre fui uma grande admiradora de bandas parcial ou totalmente integradas por garotas, como Warlock, Chastain, Acid, e principalmente Rock Goddesse Girlschool. Decidi sempre me envolver com bandas com esse foco, porque hoje em dia, creio que é interessante fazer algo ‘diferente’ dentro do metal, para que a banda se destaque, além de, obviamente, música de qualidade que vem em primeiro lugar. Bandas com mulheres existem em menor quantidade do que bandas com homens, então esse acaba, ainda hoje, sendo um diferencial. Acho que toda banda tem algo que a torne particular, única em relação às outras, no nosso caso, talvez seja esse. Fico feliz de ver MUITAS outras bandas, algumas inclusive BEM mais antigas que nós seguirem por esse caminho! Existem muitas mulheres apaixonadas por metal tanto quanto nós e é legal ver todo mundo expressando essa devoção montando sua própria banda.
Quanto à ‘criação’ da NERVOSA, a banda já existia desde 2010, mas com outras formações que não haviam dado certo, por isso não houve uma preocupação anteriormente em fazer uma divulgação firme da banda. Mas as meninas, basicamente, queriam outras meninas para fazer um Thrash com pegada e de qualidade!
 
Da onde surgiu o nome “Nervosa”?
O nome já havia sido escolhido quando ingressei na banda, mas eu me apaixonei pelo nome pelo mesmo motivo que elas os escolheram: um nome em português, agressivo, porém feminino ao mesmo tempo! Sem contar que é algo simples e muito fácil de memorizar e assimilar. Pelo bem ou pelo mal, quem ler, dificilmente vai esquecer do nome! Hehe!
 
Montar uma banda formada somente por mulheres não é algo simples, como foi que você encontrou as demais garotas?
Olha, eu posso dizer com TODA A CERTEZA que é MUITO difícil, porque já tive muitas experiências anteriores.
O legal da NERVOSA é que somos focadas totalmente na música, temos os mesmos ideais de querer fazer a coisa acontecer, deixando de lado as picuinhas que geralmente são problemas em outras bandas de mulheres. Não ligamos para o que a outra veste, não ficamos de picuinha nem fofoquinha, não damos trela para que qualquer bobeira influencie no humor e no foco da banda. Por isso eu amo essas meninas!
Eu entrei na banda bem depois de sua criação, já na metade de 2011, e então a banda resolveu investir em compor, fazer shows e se divulgar!
história foi bem interessante. Em janeiro eu tinha acabado de ser expulsa da minha ex-banda e aquilo foi, de início, TÃO traumático pra mim, que eu tinha decidido nunca mais tocar em lugar algum. Não conseguia mais confiar em ninguém e nem acreditar que outras pessoas poderiam me aceitar em uma banda do jeito que sou, do jeito que me visto, do jeito que me comporto, do jeito que me comprometo, o que não aconteceu na minha banda anterior. Então um dia, eu tava hiper triste e passei a tarde com meu namorado. A gente resolveu assistir àquele filme sobre a biografia da banda The Runaways. Em um momento, a vocalista da banda, no filme, diz pra guitarrista Joan Jett que gostaria de ter sua vida de volta, porque não aguentava mais a vida do rock. então, a Joan fala pra ela “Bem, ESSA é a minha vida”. E naquele momento eu percebi que a minha vida É o metal e que eu não podia desistir do meu sonho por outras pessoas julgarem que eu era irresponsável, que a minha cabeça “tinha parado nos anos 80” e que meu colete com patches as incomodava. Então decidi me revigorar e seguir em frente. Nisso, sempre tive MUITO APOIO ININTERRUPTO dos meus amigos e familiares. Devo muita coisa a eles. MUITA!
Passei a procurar meninas interessadas em tocar, mas acreditem – é MUITO difícil! Ainda mais para tocar Thrash Metal, que era meu foco.
Quando eu estava quase desistindo, vi a baterista Fernanda Terra postando no Facebook dela algo sobre a banda NERVOSA, banda só com garotas, com influência de Slayer e Sepultura. A primeira coisa que pensei? “Putz, roubaram minha idéia” ! Mas mal sabia eu que elas estavam à procura de baixista e vocalista.
O André, guitarrista das bandas Nitrominds e Musica Diablo, tinha me indicado pra umas das meninas, e a Fernanda Terra dá aula no mesmo lugar que meu namorado. Então através de indicações elas chegaram até mim, e quando abri o e-mail da guitarrista Prika, ela falava que procurava alguém no baixo que pudesse acompanhá-la “nos seus riffs com influência do Kill ‘Em All” do Metallica! Não pensei duas vezes! Como já fazia backing vocals na minha antiga banda, comentei com elas que eu poderia fazer um teste cantando pra ver se eles gostavam, e acabou rolando! Foi incrível encontrar essas meninas. A gente vive falando que a gente, atualmente, é a banda com que todas sonhávamos! Cada uma vê na outra exatamente tudo o que sempre procurou em companheiras de banda e isso é maravilhoso!
 
Recentemente houve a saída da guitarrista Karen Ramos. Qual foi o motivo para o desligamento dela da banda e como foi tomar a decisão de seguir como um Power Trio ao invés de arranjar uma guitarrista substituta?
A Karen morava em Curitiba e desde que entrei na banda ela estava pensando em vir pra cá. Sempre apoiamos e fomos muito pacientes com ela, afinal, largar a vida estável em uma cidade para arriscar em outra, não é uma decisão fácil. O tempo foi passando e a dedicação de todas devia aumentar para que acompanhasse o ritmo em que a banda estava seguindo. A distância, infelizmente, interferia MUITO nisso, pois raramente podíamos contar com ela em assuntos emergenciais e em outras questões mais simples de uma banda, como ensaios, por exemplo. Então ela começou a sentir que precisaria vir para cá, pra podermos andar todas no mesmo ritmo. Oferecemos um leque de oportunidades e apoio caso ela viesse para cá, mas ela acabou tomando a decisão de ficar por lá e investir em outros projetos. A saída foi hiper pacífica e mantemos contato normal com ela até hoje. Foi doloroso pra gente e pra ela, é claro, mas todas compreendemos que a distância estava afetando muito a produtividade da banda e aceitamos e respeitamos a decisão dela! Optamos em permanecer como um power trio, pelo fator determinante do entrosamento. Já estávamos acostumadas a fazer muitas coisas somente nós três, e estamos em um nível de entrosamento e amizade incrível e bem nivelado. Portanto, naturalmente, qualquer pessoa que entrasse, se sentiria deslocado e dificilmente acompanharia a gente. Então preferimos seguir adiante dessa maneira e estamos muito confortáveis com isso. Quem já pôde ver ao vivo a formação como um trio alegou ter gostado muito do resultado! Estamos muito felizes e satisfeitas.
 
A Nervosa há pouco tempo gravou seu primeiro registro que está para ser lançado, o que você pode nos adiantar sobre ele? Existe uma mobilização para que a prensagem da demo aconteça, como funciona?
Essa vai ser nossa primeira demo e estou te contando detalhes em primeira mão! Serão três músicas que quem já foi aos shows ou viu vídeos da gente já conhece. A demo foi produzida, gravada e masterizada no estúdio MR. SOM, do Pompeu e do Heros, do Korzus. Juntamos uma grana legal por um tem porque sabíamos que ali é um dos melhores lugares pra se gravar e o investimento valeria à pena. O Pompeu desenvolveu um trabalho incrível de pré-produção com a gente e o Heros realmente tem o dom para finalizar os trabalhos. Não temos palavras pra agradecer o trabalho deles junto ao nosso. A gravação está bem cristalina e pesada ao mesmo tempo. Já finalizamos tudo e estamos acertando a documentação para poder mandar prensar. Estamos planejando uma pequena surpresa para integrar o CD ainda! Como nada está fechado por enquanto, a gente não pode comentar! Mas se tudo der certo, vai ficar uma demo bem completa!
Quanto ao lance da mobilização, foi uma alternativa digamos, criativa, que encontramos para lançar o material. Pra falar a verdade, foi a ÚNICA saída que encontramos.
Alguns problemas pessoais aconteceram durante a gravação e acabamos ficando totalmente sem grana pra prensar. Muita gente tem perguntado sobre material gravado nosso, o que nos levou a crer que tem bastante gente esperando esse lançamento, PRINCIPALMENTE NÓS, que estamos morrendo de ansiedade! hahaha Então, tínhamos duas saídas: ou lançar vários meses adiante, tipo depois do meio do ano que é quando teríamos dinheiro, ou dar um jeito. Optamos em dar um jeito! hehe
Temos bastante amigos, familiares e headbangers que acompanham a pouca trajetória que a banda tem, então decidimos pedir ajuda, simples e humildemente assim! Botamos a cara à tapa, sabíamos que podíamos ser criticadas, mas fomos por aquela velha frase “o não a gente já tem, então.. por que não?”, e seguimos adiante, mais pra ver no que daria! Então achamos esse lance da vaquinha online, que tem sido bastante usada e difundida na internet pra varios intuitos, desde ajuda para um filho doente, ajuda para comprar um ingresso ou causas como a nossa. O resultado foi inacreditável. Já conseguimos praticamente a ajuda necessária! Estamos a um passo de lançar a demo e sinceramente, isso não teria acontecido se não fossem essas grandes pessoas que ajudaram e acreditaram que a nossa proposta não era enrolação, era apenas a única forma que encontramos de realizar o sonho de ter um material gravado e lançado! Acho, aliás, que essa é uma tendência que pode vir a crescer dentre as bandas. Existe MUITA GENTE, gente que você nem imagina, e isso eu percebi com a nossa experiência, que está muito disposta a apoiar e ajudar as bandas da cena, seja com uma divulgação, um “compartilhamento” no facebook, ou com cinco reais! Uma vez entrevistei um cara que me disse que ele tinha certeza que no futuro, as gravadoras teriam menos poder em lançar um disco da banda, pois as bandas veriam nos fãs, uma maneira mais rápida de ajudar a lançar seu material e foi exatamente o que fizemos. Espero realmente que essa possa ser a saída pra outras bandas que tanto precisam também. Pode parecer meio bobo o que eu vou falar, ou até exagerado demais, mas o lance da vaquinha, pra mim, foi uma puta duma prova de UNIÃO sabe, algo que eu sempre ressalto que é o que é essencial e que ainda falta um pouco na nossa cena. As pessoas precisam se unir, se ajudar, porque quem ganha, no final, é a nação headbanger, com bandas de qualidade, unidas, e focando no melhor pro metal.
 
A Nervosa é uma banda relativamente nova e já alcançou uma boa repercussão, fechando parcerias e fazendo vários shows, alguns até junto com bandas importantes da cena do Metal no Brasil e já há shows agendados juntamente com a Artillery, Exumer e Exodus. Como é lidar com tudo isso?
Cara, na verdade isso tudo é resultado de MUITA correria, de verdade. Tudo o que a gente conquista, cada pequenos passo que a gente dá, são resultado de muita correria. a gente sabe que pra chegar em algum lugar, que pra fazer o máximo de pessoas conhecerem nossa música que é feita com tanta paixão e dedicação, vai depender somente de nós mesmas. Se a gente ficasse parada, na nossa, nada teria acontecido. E meu, TUDO o que a gente faz são coisas simples! Demandam tempo, mas são coisas simples, que qualquer banda que tenha sangue nos ‘zóio’ pra fazer acontecer, pode fazer.
O nosso site, nós mesmas fizemos, nosso logo, nós marcamos os shows, nós fazemos nossa própria divulgação por não ter grana pra assessoria de imprensa e tudo o mais, nós que varamos a noite divulgando links por aí, nós que corremos atrás de amigos e parceiros pra ajudar a gente nesse começo e naturalmente a gente vai vendo o resultado, e cada uma dessas coisas significa MUITO pra gente. A gente lida com tudo isso da melhor maneira possível, porque é o resultado palpável de toda a nossa correria e dedicação!
Quanto ao Artillery, Exumer e Exodus, não vou nem comentar, PORQUE AINDA NÃO ESTOU ACREDITANDOOOOOOOO! hahaha Vai ser demais, me belisco todos os dias pra acreditar no convite que fizeram pra gente tocar com essas bandas, que são enormes influências pra gente. Pra mim é algo surreal ainda, só vou acreditar quando chegar o dia e dermos o nosso melhor em cima do palco! É uma p&*ˆ% de uma responsabilidade, mas lutamos pra conseguir e vamos provar que valeu à pena pra quem acreditou na gente! A chave para conseguir alguma coisa está dentro de você: acredite, se dedique e NUNCA tenha medo.
 
Agora em Março, a Nervosa faz show junto com Anthares e Desaster, sem dúvida, duas grandes bandas! Qual a expectativa para esse show e o que vocês estão preparando para ele?
Está aí outra honra pra gente! Tocar ao lado de bandas que fizeram história e foram e são importantes pra cena de alguma maneira sempre foi um sonho meu! Quando surgiu essa oportunidade, me senti muito realizada e feliz. Vai ser um grande evento, junto com bandas muito amigas e muito boas como o Hellven e o Fire Strike! Vai ser uma noite muito legal e as expectativas estão lá no alto, mesmo porque, tudo indica que o show venha a calhar com o lançamento da demo física. Nada certo, mas é uma possibilidade!
 
O espaço agora é aberto para que você mande seu recado a todas as Meninas Headbangers do país!
Muito legal pode ter um espaço pra poder falar com as Meninas Headbangers do país, e sei que são MUITAS! Como eu já disse, eu fico extremamente feliz de saber que existem outras milhares de meninas por aí que dedicam sua vida ao Heavy Metal, que o amam com toda a força e que sabem que não se trata apenas de um estilo de música, mas sim, um estilo de vida. Muito obrigada pela atenção de quem teve paciência pra ler esse pergaminho inteiro (haha) e muita força pra seguirem adiante com seus sonhos, dedicados ou não ao metal! Nada é impossível pra aquele que acredita e não desiste!
Obrigada pelo espaço, Iza, você é outra menina headbanger que admiro muito, fazendo muito bem a sua parte em prol do Metal!
Valeu e keep thrashing!




Posts relacionados

Comments

comments

18 thoughts on “Nervosa – Entrevista com Fernanda Lira

  1. parabéns Fê, pela entrevista! adorei!

    eu sou mto fã de vcs e sempre q puder ajudar vou fazer com maior prazer!
    sucesso NERVOSA!
    bjs!

    monicA Pedrosa

  2. Terrível essa banda! Morte pra vcs! Vcs são o contrário de tudo que o underground deve ser ! Privilegiam a Imagem e não o som… banda de garotinhas bonitinhas… Se apagarem meu comentário, é a prova que estou certo. Só estão fazendo shows e abrindo pra bandas gringas porque fazem parte da panelinha de Revistas e Bandas Falidas (Korzus, por exemplo). Enfim. Derrota total.

  3. Parabéns garotas,sei o quanto vcs são dedicadas e o quanto dão a vida pelo metal no geral,que não é apenas um hobbie e sim um estilo de vida…digo até necessario para a sanidade de pessoas como nós! OIAEIOHEAOEAAHI
    Eu li o pergaminho inteiro haha é mto bom realmente ver a galera unida ,apoiando a cena,indo em shows,comprando cds,ajudando em no material e realmente prezando o metal nacional,mesmo que em ingreis! haha

    Beatriz Lino.

  4. E o Sr/Sr.a anônimo aqui acima do meu comentário porque não faz algo melhor? Só tem contato quem corre atraz e merece,não adianta porra nenhuma arrumar contatos e não ser bom/boa o suficiente pro contato querer colocar a mão num trampo seu.Ta com inveja corre atraz porra!!!
    no mínimo deve ser uma barangoona que assim como o comentario ta no anonimato.PAU NO CU DA TUA DOR DE COTOVELO!
    cade tua banda? cade teu som? se tiver porque não da as caras e coloca ae
    'o meu é melhor que o teu?'

    Vo te falar viu,gente cuzona e invejosa é uma praga mundial,e eu falaria isso na sua cara se te trombasse.Pode procurar naquela merda de facebook,pq eu não so anônima,so de carne e osso e falo mesmo o que penso na tua cara.
    Beatriz Lino

  5. CARALHO

    Eu fico um dia sem internet e a parte de comentários do blog já vira zona?

    Discorda de algo? Tem todo o direito, mas critique de forma respeitosa.
    Respeito não só com a NERVOSA, mas com qualquer outra banda que aqui aparecer. E se o KORZUS é uma banda falida, eu tô bem por fora da cena Metal da meu país viu, porque não sei disso.

    Isso aqui é um espaço livre pra cada um postar o que quiser, contanto que tenham respeito. Desejar a morte de alguém é no mínimo, infantil. Aprenda a argumentar.

    E outra coisa: o blog é MEU e eu apago o que eu quiser, na hora em que eu quiser, porque tô cagando e andando pra quem não gosta do que eu escrevo aqui. Sacou? Vá gastar seu tempo desrespeitando bandas e leitores de outro site. No Menina Headbanger, não.

  6. Parabéns Iza pelo ótimo trabalho com o blog e pela belissima entrevista com a Fernanda!
    A Nervosa está de parabéns pelo ótimo trabalho em prol do Metal, o unico foda é o bando de invejosos que não tem qualidade musical e muito menos vergonha na cara, e ficam falando merda pela rede!
    Ae pessoal, ao invés de falarem merda das meninas , façam o mesmo " Trabalhem "

  7. Confesso que acabei de conhece-las mais profundamente, mas o idealismo descrito a cima pela vocalista, já me fez fã sem ao menos ter às visto!Estou a espera do Evento Rock Nas Alturas, que será realizada na minha cidade – Maria da Fé-MG, no Dia 08 de Dezembro e contará com a Presença da Nervosa, Torture Squad, Pleiades, dentre outras e sinceramente, não vejo a hora!!!!Muito Metal pra vocês!!!!

  8. Confesso que acabei de conhece-las mais profundamente, mas o idealismo descrito a cima pela vocalista, já me fez fã sem ao menos ter às visto!Estou a espera do Evento Rock Nas Alturas, que será realizada na minha cidade – Maria da Fé-MG, no Dia 08 de Dezembro e contará com a Presença da Nervosa, Torture Squad, Pleiades, dentre outras e sinceramente, não vejo a hora!!!!Muito Metal pra vocês!!!!

Deixe uma resposta