Daniel Erlandsson “Arch Enemy nunca foi ao Brasil com uma turnê como essa”

Daniel Erlandsson “Arch Enemy nunca foi ao Brasil com uma turnê como essa”

Três diferentes vocalistas durante sua história, dez álbuns de estúdio e incontáveis turnês ao redor do globo. Arch Enemy se tornou uma grande banda – e expoente do chamado Death Metal Melódico, e conseguiu gravar na mente dos headbangers vários refrões como o de “We Will Rise” e “Nemesis”.

Conversei com o baterista Daniel Erlandsson sobre o último álbum da banda, sua carreira fora do Arch Enemy e a turnê que a banda fará no Brasil ao lado do Kreator – a Liberation Fest Tour.

Will To Power, lançado no ano passado pela Century Media, é o décimo álbum de estúdio da carreira da banda, e além de trazer todos as características que levaram o Arch Enemy ao patamar de hoje, também traz uma música com vocais limpos, “Reason To Believe” – algo inédito na carreira.

“Acho que a reação do público tem sido muito boa. É, definitivamente, uma música diferente, mas ainda é uma música pesada e ao vivo funciona bem,  contagia todo mundo na plateia. […] Eu não sei se vamos colocar mais vocais limpos em outras músicas. Não é algo que decidimos ‘Ok, agora vamos ter vocais limpos’, mas foi o primeiro passo, fazer essa música abriu um pouco as portas porque vimos que nós podemos fazer algo assim. Não tem como dizer se vamos fazer mais músicas com vocais limpos ou não, mas sempre há uma chance no futuro”.

E qual a melhor e a pior parte de se estar em turnê?

“Quando se está na estrada, a hora do show é o ápice do dia. É ótimo poder viajar e conhecer o mundo, nós somos sortudos em poder fazer isso, mas viajar também pode ser algo cansativo. Estamos sempre em movimento, dormindo em cama diferente a cada noite, ao menos que você esteja em um tourbus, mas é a pior parte, sempre estar viajando. Eu sei que posso soar como um idiota dizendo que viajar é ruim (risos), mas é cansativo. Mas a melhor parte é ver que a banda ainda está crescendo mesmo depois de todos esses anos. Estamos tocando para mais pessoas, em grandes palcos”.

E durante os shows, qual sua música favorita para tocar? E qual a mais difícil?

“Acho que a minha música preferida para tocar ao vivo é ‘First Day In Hell’.  Acho que é a minha favorita porque é uma música nova no setlist. Mas eu gosto de tocar os clássicos. É divertido ver o público reagir as músicas. Se eles reagem bem, qualquer música pode ser a minha preferida.
A mais difícil…a primeira música do show. Nós estamos começando os shows com ‘The World Is Yours’ e normalmente é uma música que eu consigo tocar, mas para  primeira música do show você tem que estar certo de que suas pernas estão aquecidas e prontas. Essa é uma parte difícil, se aquecer da forma correta”.

O que você tem feito além do Arch Enemy?

“Eu reativei uma banda antiga minha chamada Eucharist há um tempo atrás, nós fizemos um show na Suécia. A banda tinha acabado há quase 20 anos, e a gente conversou sobre fazer algo novo, mas acho que agora eu não tenho muito tempo livre”.

Nota da editora: Além de Erlandsson, os integrantes Sharlee D’Angelo e Michael Amott se juntaram aos ex-integrantes do Arch Enemy, Christopher Amott e Johan Liiva para o projeto Black Earth, que consiste em tocar os três primeiros álbuns da banda. Eles farão uma turnê no Japão em maio de 2019. Confira as datas clicando aqui.

“Quando a gente começou a falar sobre o Black Earth, a ideia inicial era tocar no Japão, mas acho que a América Latina é um lugar onde as pessoas gostariam de nos assistir, então, quem sabe?”

Se você tivesse que escolher uma única música para apresentar o Arch Enemy para alguém, qual música seria?

“Acho que ‘The World Is Yours’, do novo álbum, é uma boa música porque tem todas as características do nosso som, bateria acelerada, vocais agressivos, os riffs de Thrash, um refrão melódico, solos de guitarra, tem tudo nessa música”.

O Arch Enemy está, mais uma vez, vindo ao Brasil, e dessa vez em uma tour co-headliner com o Kreator e indo para novas cidades!

“Eu estou muito animado pra tocar no Brasil! Quero conhecer o norte e nordeste do país. Fortaleza e Manaus, acho que vai ser muito bom, e me fará suar bastante (risos), vai ser divertido. Nós estamos indo com o Kreator e acho que é uma boa junção, acho que nunca fomos ao Brasil como uma turnê como essa, vai ser demais!”.

A Liberation Fest Tour com Arch Enemy e Kreator passará por cinco cidades: Porto Alegre, Fortaleza, Manaus, Rio de Janeiro e São Paulo. Confira abaixo as informações sobre os ingressos.

PORTO ALEGRE

Bandas: Kreator e Arch Enemy
Data: sexta-feira, 9 de novembro de 2018
Local: Bar Opinião
End: Rua José do Patrocínio, 834
Abertura da casa: 18h30 | Showtime: 19h30
Informações gerais: info@liberationmc.com
Infoline: (51) 3211-2838
Censura: 14 anos (desacompanhados). Menores dessa idade somente acompanhados dos pais ou responsáveis.
Evento no Facebook

VALORES
Lote 1:
R$ 180 (promocional – valor reduzido, com a doação de 1kg de alimento não perecível, disponível para qualquer pessoa)
R$ 160 (estudantes e idosos – desconto de 50%)
R$ 320 (inteira)

Lote 2:
R$ 200 (promocional – valor reduzido, com a doação de 1kg de alimento não perecível, disponível para qualquer pessoa)
R$ 180 (estudantes e idosos – desconto de 50%)
R$ 360 (inteira)

Lote 3
R$ 220 (promocional – valor reduzido, com a doação de 1kg de alimento não perecível, disponível para qualquer pessoa)
R$ 200 (estudantes e idosos – desconto de 50%)
R$ 400 (inteira)

/* Os alimentos deverão ser entregues no Opinião, no momento da entrada ao evento./
/** Para o benefício da meia-entrada (50% de desconto), é necessária a apresentação da carteira de estudante na entrada do espetáculo. Os documentos aceitos como válidos estão determinados no artigo 4º da Lei Estadual 14.612/14./

Compre clicando aqui

PONTOS DE VENDA OFICIAL (sem taxa de conveniência – somente em dinheiro): Multisom Bourbon Wallig
Demais pontos de venda (sujeito à cobrança de R$ 5 de taxa de conveniência – somente em dinheiro):
Multisom Porto Alegre: Shopping Praia de Belas, Iguatemi, Bourbon Ipiranga, Barra Shopping Sul, Shopping Total e Andradas 1001
Multisom Região Metropolitana: Bourbon São Leopoldo, Bourbon Novo Hamburgo, Park Shopping Canoas e Canoas Shopping

FORTALEZA

Bandas: Kreator e Arch Enemy
Data: domingo, 11 de novembro de 2018
Local: Armazém
End: Av. Almirante Barroso, 444, Fortaleza, CE
Abertura da casa: 18h
Infoline: (85) 3219-4322
Informações gerais: info@liberationmc.com
Classificação etária: 18 anos. Menores entre 16 e 18 anos apenas acompanhados de pai ou mãe.
Evento no Facebook
Apoio local: Gallery Productions, Planet CDs, Armazém

SETORES/VALORES (1º lote):
Pista: R$ 360,00 (inteira) | R$ 180,00 (meia-entrada*)
Camarote: R$ 500,00 (inteira) | R$ 250,00 (meia-entrada)
/*doe um kilo de alimento na entrada da casa no dia do evento e pague meia entrada)/

Compre clicando aqui

Formas de Pagamento: dinheiro, cartões de crédito e débito Visa, MasterCard, American Express e Dinners Club
PONTO DE VENDA (sem taxa de conveniência – apenas dinheiro): Planet CDs – Rua Senador Pompeu, 834 – Centro | (85) 3253-3981

MANAUS

Bandas: Kreator, Arch Enemy e Shaman
Data: quarta-feira,14 de novembro de 2018
Local: Studio 5 – www.studio5.com.br
End: Av. Gen. Rodrigo Otávio, 3555 – Distrito Industrial, Manaus – AM, 69075-005
Abertura da casa: 17h
Informações gerais: info@liberationmc.com
Infoline: (92) 3133-8503
Censura: 15 anos (desacompanhados). Menores dessa idade somente acompanhados dos pais ou responsáveis.
Realização: Liberation Tour Booking e Black River Produções
Evento no Facebook

SETORES/VALORES:
Pista: R$ 400,00 (inteira) | R$ 200,00 (meia-entrada*)
Front Stage: R$ 700,00 (inteira) | R$ 350,00 (meia-entrada*)
Camarote: R$ 560,00 (inteira) | R$ 280,00 (meia-entrada*)
*doe um kilo de alimento na entrada da casa no dia do evento e pague meia entrada

Compre clicando aqui

PONTOS DE VENDA:
Central Manauara Shopping – Av. Mário Ypiranga, 1300 – Adrianópolis
Central Via Norte Shopping – Av. Arquiteto José Henrique Bento Rodrigues, 3760
Central Sumaúma Shopping – Av. Noel Nutels, 1762 – Cidade Nova
Central Amazonas Shopping – Av. Djalma Batista, 482 – Parque Dez de Novembro

RIO DE JANEIRO

Bandas: Kreator, Arch Enemy, Walls of Jericho e Excel
Data: sexta-feira, 16 de novembro de 2018
Local: Circo Voador
End: Rua dos Arcos S/N, Rio De Janeiro, RJ
Abertura da casa: 20h
Realização: Circo Voador e Liberation MC
Informações gerais: www.circovoador.com.br
Censura: 16 anos (desacompanhados). Menores dessa idade somente acompanhados dos pais ou responsáveis.
Evento no Facebook

SETORES/VALORES:
Pista (1º lote): R$ 300,00 (inteira) | R$ 150,00 (meia-entrada)
Pista (2º lote): R$ 360,00 (inteira) | R$ 180,00 (meia-entrada)
Pista (3º lote): R$ 400,00 (inteira) | R$ 200,00 (meia-entrada)

Compre clicando aqui

PONTO DE VENDA OFICIAL: bilheteria do Circo VoadoR

SÃO PAULO

Bandas: Kreator, Arch Enemy, Walls of Jericho, Excel e Genocidio
Data: sábado, 17 de novembro de 2018
Local: Audio
End: Av. Francisco Matarazzo, 694 (próximo ao Metrô Palmeiras – Barra Funda)
Abertura da casa: 17h
Telefone: (11) 3862-8279
Informações gerais: info@liberationmc.com
Censura: 18 anos (desacompanhados). Menores dessa idade somente acompanhados dos pais ou responsáveis.
Estacionamento: nas imediações da casa
Estrutura: ar-condicionado, acesso para deficientes, área para fumantes e enfermaria
Evento no Facebook

SETORES/VALORES:
Pista: R$ 180,00 (meia-entrada) | R$200 (promocional solidário) | R$ 360,00 (inteira)
Pista Premium: R$ 300,00 (meia-entrada) | R$320 (promocional solidário) | R$ 600,00 (inteira)
Mezanino: R$ 350,00 (meia-entrada) | R$370 (promocional solidário) | R$ 700,00 (inteira)

Compre clicando aqui

PONTO DE VENDA (sem taxa de conveniência): bilheteria da Audio (de segunda a sábado, das 13h às 20h)
CALL CENTER Ticket360: (11) 2027-0777

Formas de Pagamento: dinheiro, cartões de crédito e débito Visa, Visa Electron, MasterCard, Diners Club, Rede Shop. Cheques não são aceitos.

Liberation Fest Tour - Arch Enemy e Kreator

 

Criadora do Menina Headbanger em 2011. Formada em Comunicação Social, apaixonada por Heavy, Thrash, Death e Doom, mãe, trabalhando com marketing, e o tempo todo pensando qual a próxima comida vou mandar pra dentro.

We’re back!

We’re back!

Ok, eu sei que essa não é a primeira vez que eu tento voltar por aqui, mas vamos por partes, como diria Jack.

Muita coisa aconteceu. Muita mesmo! Fiquei doente, fiquei sem trabalho, depois arranjei muito trabalho, meu pai morreu, minha filha foi internada, minha mãe foi atropelada e meses depois teve que fazer uma cirurgia na cabeça, rolei 10 degraus na escada com a minha filha no colo, site foi hackeado e tivemos mais de 100 posts e 20 mil comentários deletados, vish…muita coisa.

Mas muita coisa legal também aconteceu! Conheci novas pessoas, novos lugares, novos amores, novas competências e também reencontrei meu antigo gosto em ter o meu próprio espaço para escrever o que quiser, da forma que quiser.

Maaaaas, pra não deixar tudo virar fogo de palha de novo, temos uma nova Menina Headbanger  para me ajudar nisso: Thamy Melo, repórter do Hard And Heavy, dará as caras por aqui e tenho certeza que vai acrescentar muita coisa bacana. Além da querida Edi Fortini, que sempre cede fotos maravilhosas pra usarmos <3

Estamos correndo para deixar tudo BEM foda! A agenda de shows traz agora as datas de shows por todo o país, em forma de calendário. Gosta de viajar? Na agenda também tem as datas de TODOS os festivais de Metal no exterior, pra você encaixar um festival super bacana na sua trip. 😉

Vamos falar bastante sobre tudo que tem como pano de fundo a música pesada. O que antes era o ‘blog da Iza – a Menina Headbanger’, começa a se transformar agora numa espécie de coletivo das mulheres que amam música pesada.

Gosta de escrever? Que tal colaborar com a gente aqui no Menina Headbanger? 😉

Criadora do Menina Headbanger em 2011. Formada em Comunicação Social, apaixonada por Heavy, Thrash, Death e Doom, mãe, trabalhando com marketing, e o tempo todo pensando qual a próxima comida vou mandar pra dentro.

Paradise Lost – São Paulo/SP – 01/09/2018

Paradise Lost – São Paulo/SP – 01/09/2018

Esse foi o meu segundo show do Paradise Lost (o primeiro foi em 2016) e nem sei dizer qual foi melhor. Rapaz…que banda! É triste, é pesado, é dançante. Como conseguem ser tudo isso? 30 anos de carreira sem deixar a peteca cair. 30 anos de escuridão e melancolia. Há 30 anos alegrando góticos e headbangers.

Os caras vieram ao Brasil pra divulgar o álbum Medusa, lançado em 2017 pela Nuclear Blast.

Tem texto completo lá no Wikimetal.

Paradise Lost é:
Nick Holmes (vocal)
Greg Mackintosh (guitarra)
Aaron Aedy (guitarra)
Steve Edmondson (baixo)
Waltteri Väyrynen (bateria)

São Paulo/SP – 01/09/2018:
“From The Gallows”
“Gothic”
“One Second”
“Erased”
“Enchantment”
“Requiem”
“Medusa”
“An Eternity Of Lies”
“Faith Divide Us – Death Unites Us”
“Blood And Chaos”
“As I Die”
“Beneath Broken Earth”
“Embers Fire”
“No Hope In Sight”
“The Longest Winter”
“Say Just Words”

Foto gentilmente cedida pelo Yuri Murakami. =D

Criadora do Menina Headbanger em 2011. Formada em Comunicação Social, apaixonada por Heavy, Thrash, Death e Doom, mãe, trabalhando com marketing, e o tempo todo pensando qual a próxima comida vou mandar pra dentro.

Katatonia – The Fall Of Hearts

Katatonia – The Fall Of Hearts

O que falar desse álbum que eu conheço bem e considero pacas?

Por muitos anos eu fui avessa ao Doom Metal. Gostava de coisas agitadas. A energia do Thrash, a raiva do Death, a alegria do Power. Mas o mundo do Heavy Metal é tão sortido, diverso. Existem tantas sonoridades, nuances e sentimentos distintos a nos proporcionar, até que aos poucos, bem aos poucos, eu me rendi. E me surpreendi.

O Katatonia surgiu no início da década de 90, na Suécia, mesclando Doom e Death, mas aos poucos o som foi se modificando até chegar nessa belezura de álbum lançado em 2016: The Fall Of Hearts.

Sabe aquele tipo de disco que é difícil de escolher uma música favorita? Peso e melodia alinhados a letras belíssimas. Que álbum!

Se você é iniciante na arte do ‘metal triste’, The Fall Of Hearts é um disco perfeito pra você. Não é tão arrastado e nem tão pesado. Na verdade, diria até que não é tão Doom, mas não perde as raízes.

“Takeover”, “Serein”, “Decima”, “Serac” e “Last Song Before The Fade” são as músicas que mais se destacam. E sim, sei que muita gente diz que a parte lírica desse disco é melosa, fala muito sobre amor, mas qual o problema?

Katatonia hoje é:
Jonas Renksee – Vocal
Anders Nyström – Guitarra
Roger Öjersson – Guitarra
Niklas Sandin – Baixo
Daniel Moilanen – Bateria

katatonia

Criadora do Menina Headbanger em 2011. Formada em Comunicação Social, apaixonada por Heavy, Thrash, Death e Doom, mãe, trabalhando com marketing, e o tempo todo pensando qual a próxima comida vou mandar pra dentro.