Banda com base de fãs fake, Threatin,  faz shows na Europa (e ninguém apareceu)

Banda com base de fãs fake, Threatin, faz shows na Europa (e ninguém apareceu)

Parece piada, mas é uma piada da vida real. A banda de Los Angeles, Threatin, levou o negócio de “compra de likes, visualizações e comentários” a um novo patamar. Prepare-se para rir!

Jered Threatin, líder da banda Threatin, se passou por um booking agent para marcar shows na Europa, de acordo o MetalSucks. Ele usou imagens falsas de shows supostamente lotados em Los Angeles, comprou likes no Facebook, confirmações em eventos, visualizações no Youtube, comentários e mentiu sobre a venda de ingressos para enganar os donos das casas de shows.


As postagens começaram a circular nas redes sociais quando a turnê começou no dia 01 de novembro, em Londres. A casa de shows, The Underworld, disse que a informação vinda do booking agent é  de que teriam sido vendidos 291 ingressos antecipados, mas apenas três pessoas apareceram.

E as coisas não melhoraram…a casa em Bristol, The Exchange, também notou algo similar. O agente disse que foram vendidos 180 ingressos, mas ninguém apareceu além de convidados que estavam na lista da banda de abertura. De novo: CONVIDADOS DA BANDA DE ABERTURA. A casa descobriu que os números do Threatin são falsos: as 100 pessoas marcadas como “Sim” no evento do Facebook moram no Brasil, além do número de comentários no YouTube também serem fakes.

O canal do Threatin no Youtube também é estranho. Há clipes ao vivo que dão a impressão de que a banda está tocando em um lugar cheio de fãs – mas as imagens mostram apenas a banda ou apenas o público, nunca os dois juntos. Há também vídeos onde, aparentemente, o vocalista filmou entrevistas consigo mesmo. Bizarro!

O MetalSucks conversou com Adam Gostick, da banda The Unresolved, que abriu o show do Threatin no The Asylum no dia 08 de novembro.

“Então, a minha banda The Unresolved tocou no The Asylum no dia 08. No dia anterior recebemos uma mensagem do Ghost Of Machines explicando que não havia ninguém no show em Bristol. […] Falamos com o The Asylum e nos disseram que tinham dito para eles que o show estava esgotado, mas que eles checaram as vendas e que estava zerada […].

Recebemos um e-mail com o assunto de ‘Oferta de show’ de alguém chamado Casey da Stage Right Bookings […]

De tudo o que ele falou, Threatin é o cara, não a banda. Seu nome é Jered Threatin e ele diz que é um artista solo com uma banda contratada. Eles estavam fazendo a passagem de som quando chegamos lá. Durante toda a noite, Threatin não abordou e nem falou com ninguém, além da sua própria equipe. Eu o ouvi falar duas vez. Uma quando o Robannas Studios apareceu porque o Threatin não tinha pago a contratação do backline. E a outra vez quano ele disse um quieto ‘obrigado’, porque eu mantive uma porta aberta pra ele. No geral, todos são muito rudes e ignorantes.

Havia 13 pessoas quando tocamos. O engenheiro de som, o barman, 10 pessoas que nós levamos e uma única pessoa que realmente tinha ingresso”

O The Asylum fez um post no Facebook:

“Nós tivemos um show onde o cantor disse à todos que tinha vendido 150 ingressos (sold out), quando ele tinha vendido apenas 1. Somente para lembrar que é assim que se faz para entrar numa lista negra e não aconselhamos ninguém a mentir sobre vendas”.

O próximo show da banda está marcado para o dia 11 de novembro em Belfast, seguido por datas na França, Itália e Alemanha.

Parece que a Stage Right Bookings é uma empresa falsa, feita por ele mesmo para agendar essa turnê na Europa.

OLHA O TANTO QUE ESSE CARA INVENTOU! 🤣🤣🤣

Quanto será que ele investiu em grana nisso? Será que ele contava que as bandas de abertura levassem público? Seria um narcisista rico querendo ser rockstar? Seria um experimento social? A história é tão surreal que parece mentira, mas não é.

As redes sociais da banda, magicamente, desapareceram, e os comentários no Youtube foram desativados.

threatin

Criadora do Menina Headbanger em 2011. Formada em Comunicação Social, apaixonada por Heavy, Thrash, Death e Doom, mãe, trabalhando com marketing, e o tempo todo pensando qual a próxima comida vou mandar pra dentro.

Novo selo: Eletric Funeral Records

Novo selo: Eletric Funeral Records

Dia 26 de outubro é a data que nasce a Eletric Funeral Records, com foco em Metal, Hardcore e Punk Rock.

A Eletric Funeral Records é a junção de Sylvia Süssekind da Collapse Agency, Felipe Toscano da Abraxas e Guilherme Guerra da Obscur. A parceria resulta não só em um novo selo, mas também em uma nova produtora de shows e turnês.

Para os primeiros lançamentos, a empresa promete uma revelação do Metal brasileiro e uma banda veterana do Grindcore.

Facebook | Instagram

Criadora do Menina Headbanger em 2011. Formada em Comunicação Social, apaixonada por Heavy, Thrash, Death e Doom, mãe, trabalhando com marketing, e o tempo todo pensando qual a próxima comida vou mandar pra dentro.