Dream Theater – Credicard Hall – 26/08/12

O Credicard Hall é uma casa bem grande. Cabem cerca de 7 mil pessoas, tem luz e som perfeitos, vários setores e só peca pela localização. É bem complicado chegar lá de transporte público. Isso sem falar nos horários que sempre complicam a vida. Shows no Credicard são sempre um sufoco na hora de ir embora.

No caminho já via-se bastante pessoas com camisetas do Dream Theater. Público diferente da maioria de shows de Metal, nada de visual carregado, ali tudo era light.

Passava das 18h30 quando (finalmente) cheguei ao local. Me surpreendi com o tamanho da fila, não esperava que tantas pessoas fossem assistir o Dream Theater, devido aos altos valores dos ingressos. Quando adentrei na Pista Premium, tudo ainda era bem sossegado. Arranjei um lugar próximo ao bar (pra evitar a fadiga, se é que me entendem) e ali permaneci enquanto a casa se enchia (e encheu!). Um pequeno alvoroço se formou e fui conferir o motivo: Aquiles Priester estava ali! Disseram-me que Felipe Andreoli também, mas não o vi.

Com cerca de 15 minutos de atraso, as luzes se apagaram e uma animação começou nos 3 telões em forma de cubos, seguida pela música “Bridges in the Sky”, do álbum “A Dramatic Turn of Events”, que eu confesso gostar bastante.

A banda prometeu setlists diferentes para cada show em terras brasileiras e assim o fez, tocando várias músicas que não foram apresentadas no show em Porto Alegre (e senti um pouco de inveja do setlist de POA), porém englobou diversos álbuns da carreira.

O show ia muito bem até começar o solo de bateria. Desculpem-me quem gosta. Acho esse tanto de solos nos shows do DT bem desnecessários e entediantes. Mike Mangini começou seu solo de forma simples e sem firulas (zzzzz), vez ou outra fazia coisas mais mirabolantes – acho que qualquer dia ele vai acabar se enrolando nos braços, não é possível – e ainda, com cara de deboche, comeu um banana e voltou a solar para na sequência tocarem ”A Fortune in Lies” do álbum “When Dream and Day Unites “.

A apresentação continuou, agora com uma versão acústica, com John Petrucci no violão executaram “The Silent Man” e “Beneath the Surface”. Depois desse pequeno interlúdio, a banda voltou para dessa vez, tocarem “Outcry” e “Surrounded” e…Mais um solo, dessa vez do tecladista Jordan Rudess, esbanjando virtuosismo com as teclas e arrancando aplausos da platéia.

Após a sequência de “On the Backs of Angels”, “War Inside My Head” e “The Test that Stumped Them All” veio a parte mais bonita e emocionante do show. Petrucci pediu para que todos levantassem seus celulares e começaram a tocar a belíssima “The Spirits Carries On”, com todos cantando em uníssono. Pude notar muitos rostos molhados, casais abraçados e maquiagens borradas. Poucas vezes vi tantas pessoas emocionadas dessa forma.

Petrucci veio com seu solo de guitarra (zzzzz) me desculpem os fãs, mas seria bem melhor se não tivesse. Sonífero! Nada empolgante, apesar de perfeito.

Depois de “Breaking All Illusions”, encerraram o show com a ovacionada “Metropolis Pt. 1: The Miracle and the Sleeper”.

Show do Dream Theater foi uma experiência bem interessante. Muito diferente dos shows que costumo ir, onde as músicas começam com o baterista marcando o tempo e o resto é só desgraceira e destruição. É algo mais para viajar do que para agitar.

Muitos ali disseram que Mike Portnoy faz falta e eu concordo em partes. Achei Mike Mangini um baterista excelente, porém a banda perdeu a já pouca expressividade que tinha. Sem ele o DT ficou morto ao vivo, em algumas vezes a apresentação leva ao tédio de tão estático e inertes os integrantes são – apesar de todo o esforço de Mangini.

Não sou fã da banda, mas reconheço que eles são muito bons no que fazem. Os instrumentistas beiram ao nível alienígena da técnica e perfeição. Não é um show empolgante, mas é belo, muito belo!

Setlist
Bridges in the Sky (Álbum: A Dramatic Turn of Events)
6:00 (Álbum: Awake)
The Dark Eternal Night (Álbum: Systematic Chaos)
This is the Life (Álbum: A Dramatic Turn of Events)
The Root of All Evil (Álbum: Octavarium)
Lost Not Forgotten (Álbum: A Dramatic Turn of Events)
Solo de bateria
A Fortune in Lies (Álbum: When Dream and Day Unites)
The Silent Man (Álbum: Awake)
Beneath the Surface (Álbum: A Dramatic Turn of Events)
Outcry (Álbum: A Dramatic Turn of Events)
Surrounded (Álbum: Images and Words)
Solo de teclado
On the Backs of Angels (Álbum: A Dramatic Turn of Events)
War Inside My Head (Álbum: Six Degrees of Inner Turbulence )
The Test that Stumped Them All (Álbum: Six Degrees of Inner Turbulence)
The Spirit Carries On (Álbum: Metropolis Part 2 – Scenes from a Memory)
Solo de guitarra
Breaking All Illusions (Álbum: A Dramatic Turn of Events)
Metropolis Pt. 1: The Miracle and the Sleeper (Álbum: Images and Words)


TEXTO: Iza Rodrigues | Menina Headbanger
FOTOS: Evandro Camellini

Posts relacionados

Comments

comments

One thought on “Dream Theater – Credicard Hall – 26/08/12

Deixe uma resposta