Noturnall – 29/03/2014 – Carioca Club

noturnall

Foi com um pé atrás que fui ao Carioca Club no último sábado assistir o Noturnall.
A banda é formada por integrantes remanescentes do Shaman e na bateria o já conhecido por nós, Aquiles Priester. A banda lançou seu primeiro álbum, auto intitulado, e com produção e participação do Russel Allen (Symphony X) e que já conta com recorde de vendas e ótimas críticas.
Nunca foi segredo pra ninguém que me conhece que eu tenho uma dificuldade enorme em digerir vocais muitos agudos. Nunca gostei de Shaman e derivados, como também nunca me interessei pelo trabalho do Thiago Bianchi. Vocal agudo pra mim só os do Michael Kiske e King Diamond, e olhe lá!
Pois bem, fui surpreendida (E eu adoro quando isso acontece!).

Além de ser o primeiro show da banda, foi também a gravação do DVD...

CONTINUE LENDO

Dark Avenger: Uma aula de Heavy Metal

dark avenger

Há cerca de um ano atrás eu recebi um pequeno grande presente. Uma mensagem do Mário Linhares me enviando um arquivo com as músicas do “Tales Of Avalon – The Lament”, álbum do Dark Avenger que estava engavetado. Eu comecei a ouvir de imediato e torci para que um dia esse álbum viesse ao público, e veio.
O Dark Avenger, para os mais inciantes, é uma banda de Heavy Tradicional de Brasília, formada no início da década de 90 (Quando eu ainda era uma pequena serelepe!) e desde então se tornou uma das grandes bandas da nossa cena.
Mesmo com o hiato de alguns anos, a banda ainda continua com um público fiel e que compareceu para o show em São Paulo. Um evento muito bem organizado e com pontualidade exemplar.

A primeira banda a subir no palco foi a Zaltana, que eu não conhecia, e qu...

CONTINUE LENDO

Dynahead – Relato de uma fã

dynahead em são paulo

Apesar da maioria evitar  ligar músicas a pessoas ou situações, eu sou o oposto. Cada banda predileta marcou uma fase, boa ou ruim, uma transição planejada ou não, um pico de euforia ou de fossa.
Quase todos tem uma (ou várias) bandas do coração. Eu mesma gosto muito do Metallica, Nevermore,  After Forever e mais uma caralhada de bandas. E uma delas se chama Dynahead.
Conheci o Dynahead numa daquelas viradas filhas da puta da vida e é interessante notar o quanto alguns álbuns servem de trilha sonora pra determinadas fases. Eu ouvia o ‘Youniverse’ todos os dias indo para o trabalho e desde então aquela banda do mesmo país que eu, de sonoridade estranha, torta e difícil, se tornou uma das minhas preferidas.
Até dei um pulo da cadeira quando soube que viriam à São Paulo fazer...

CONTINUE LENDO